Tempo - 2

12-01-2011 19:48

 

Agora, vamos aprofundar mais um pouco esse pensamento. Imaginemos que um extraterrestre se encontre a 60 anos-luz da terra (isso significa que a distância entre a terra e este planeta é equivalente à distância percorrida pela luz durante 60 anos).

Digamos que o nosso extraterrestre (vamos chamá-lo de Ozzy) possua um ótimo telescópio pelo qual possa ver o nosso querido planeta terra. Ele, na verdade, sempre verá a terra como ela era há 60 anos. A explicação é simples. A luz demora 60 anos para chegar a seus olhos e, portanto, ele vê a nossa terra não como ela é atualmente para nós, mas sim como esta era há sessenta anos. Portanto, se atualmente estamos no ano de 2010 (talvez não mais quando você estiver lendo este artigo), o nosso querido Ozzy verá a terra como ela era em 1950. O nosso passado é o presente de Ozzy. Agora imagine diversos extraterrestres espalhados pelo universo, um a x anos-luz da terra, outro a y anos-luz da terra...  Isso significa que cada um vê nosso planeta de forma diferente, acompanham eventos diferentes. Digamos que nosso amigo Ozzy esteja acompanhando a Guerra Fria. Outro extraterrestre, Axel, poderá estar vendo Albert Einstein desenvolver a Teoria da Relatividade, outro extraterrestre, Bill, poderá estar vendo a descoberta do fogo... E, para eles, este é o presente! Na verdade, é isso o que ocorre quando olhamos para as estrelas. Vemos elas como eram a centenas, milhares e milhões de anos atrás.  Na verdade, algumas delas já explodiram e não existem mais. Mas, como vemos o ‘passado’ delas, antes de explodirem, parece que ainda estão lá, gigantes e poderosas no céu. Quando olhamos para o céu muitas vezes vemos coisas que não mais existem! Se você refletir um pouco, perceberia que se o sol explodisse agora, somente veríamos a explosão cerca de oito minutos depois, pois o sol está a cerca de oito minutos-luz da terra. Durante oito minutos ele estaria lá, imponente e grandioso, quando na verdade não existiria mais!