Teoria das Cordas--- Parte 3

25-12-2008 15:40

 

Existe um fato muito importante não mencionado nos artigos anteriores: Antes de 1995, acreditava-se que existiam cinco tipos diferentes de Teoria das cordas. Isso era algo extremamente perturbador para os físicos, afinal, espera-se que a Teoria Unificadora seja apenas uma e não duas ou três e muito menos cinco, afinal, se fossem realmente cinco teorias, logo o sonho da Teoria Unificadora ainda não estaria realizado. Porém, esse cenário mudou completamente quando em 1995, Edward Witten, um dos maiores físicos da atualidade no campo das cordas, conseguiu demonstrar que na verdade as cinco teorias das cordas eram uma só! Isso é extremamente importante, pois devolveu a credibilidade da Teoria das Cordas, iniciando uma revolução que fez com que milhares de cientistas em todo o mundo voltassem a sua atenção para a teoria das cordas. E mais, Witten, com a ajuda de outros colegas, conseguiu demonstrar que aquelas cinco teorias das cordas compunham um artifício que facilitaria muito o estudo da Teoria das Cordas como um todo. Cálculos super-difíceis da “Teoria das Cordas 1” poderiam ser transformados em cálculos muito mais fáceis na “Teoria das Cordas 2” e cálculos super-difíceis da “Teoria das Cordas 4” poderiam se tornar facílimos na “Teoria das Cordas 3” e assim por diante.

Como as cinco teorias das cordas compunham uma só, esta passou a ser denominada Teoria M. Até hoje, “M” pode significar muitas coisas, como Mãe, Matriz, Mestra e assim por diante.

Porém, algo que assombrou os estudiosos da Teoria M foi a descoberta de que além das cordas, outros elementos que poderiam ser os elementares do universo seriam as branas, ou melhor, as p-branas. Por que as cordas teriam de ser unidimensionais, isto é, com uma dimensão? Por que não com duas ou três? Foi descoberto que sim, as cordas podem ter até dez dimensões, porém para essas cordas que não tem uma dimensão, a nomenclatura muda e esses elementos passam a ser chamados de branas. Uma 2-brana tem duas dimensões, uma 3-brana tem três dimensões e assim por diante, até as 10-branas.

Vamos ver o que esse aspecto curioso da Teoria M acaba por gerar...